segunda-feira, 31 de março de 2014

Candura .


Não quero apenas
 Ouvir o som da tua íris 
Que canta ao silêncio, 
Quero embriagar-me
 em Tuas praias, me deleitando
 Pelos cômodos do anoitecer, 

 A candura das rosas,
 Que desaguam na sublimidade 
E nos jardins deste corpo 
 Magnânimo, orquestrando
 Como um piano de cauda
 O prazer em comunhão! 

 Hoje, Ame intensamente e Seja muito feliz. 
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário