quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Hoje, o tempo passou...


Depois de tanto tempo decorrido, 
Eis que te encontro 
novamente agora, face a face...
 Alquebrado, envelhecido,
 Tão diferente do que foste outrora!
 Percebo, nos teus olhos contristados,
 Que em mim também notaste alguma mudança. 
É natural, vinte anos são passados,
 E o tempo, no seu giro, não descansa! 
 Tão diferente já do que fomos! 
E em vão tentamos recompor os traços do passado.
 Buscas em meu olhar um antigo clarão
 E só vês um cristal sereno, desmaiado...
 E em nossos olhos vê-se agora, refletida,
 Como num claro espelho, a imagem do presente,
 A dura realidade, a amarga lei da Vida,
 E então, sem resistir, choramos tristemente,
 Lágrimas não por mim nem por ti, na verdade,
 Nem mesmo pelo amor que agora pouco importa!
 Se choramos assim,
 Choramos de saudade. 
Da nossa própria mocidade morta!

 Maria José Aranha de Rezende

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz. 
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário