quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Na vidraça.



Como gosto das coisas que percebo de repente
 Olho na janela,e vejo, como que desenhados, tu e eu
 Um rabisco na vidraça embaçada
 Como que escondidos por detrás da cortina almiscarada
 Como gosto quando te pronuncio
 Me anuncio e me recebes
 E me presenteias com toda tua insanidade
 Como gosto de ser tua 
Mesmo quando amolas tuas facas
 E me rouba o sangue para com ele te alimentares
 Como gosto quando me dizes ser teu único alimento e caça
 Mas jamais uma paisagem na vidraça...

 Karla Julia 

 Hoje, Ame intensamente e Seja muito feliz. 
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário