terça-feira, 12 de novembro de 2013

Estar lá...


Quando falei de mim
Não contei sobre meu amor 
Nem de como sei amar

 Quando olhou em meus olhos
 Imaginou-me diferente 
Quem sabe até, sem censura

 Viu uma mulher maravilhosa
 Supostamente uma leve brisa 
Aquela, que sem mais seria tua

 Na verdade, quase nada soube de mim
Das tantas vezes que meus braços vazios
 Buscaram em vão o calor de um abraço

 Nos dias em que sufoco de dor 
Em noites que deliro sozinha
 Não estas, nem me vês

 Então, quase nada sabes de mim
Se no meu corpo não aninhou 
Se da minha alma não bebeu
- ainda que em sonhos o fez -
 Continuas sem saber quem sou...

 Ruth Maria Perrella 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário