segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Voz do amor...


Um homem na campina olhava o céu.
 As estrelas pareciam aumentadas, de tamanho brilho.
 Estrela, ó estrela, estrelas,
 Ele suplicou como se injuriasse.
 Os que alimentavam o fogo
 Aproximaram-se admirados:
 Nós também queremos, repeti para nós.
 Ó noite de mil olhos, reluzente.
 Os vocativos são o princípio de toda poesia.
 Ó homem, ó filho meu,
 Covoca-me a voz do amor,
 Até que eu responda ó Deus, ó Pai.

 Adélia Prado 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário