sábado, 22 de outubro de 2016

O teu sorriso...


Tenho-a visto passar, 
Cantando, à minha porta, 
 E às vezes, bruscamente, invadir o meu lar,
 Sentar-se à minha mesa, e a sorrir, meia morta,
 Deitar-se no meu leito e o meu sono embalar.
 Tumultuosa, nos seus caprichos desenvoltos,
 Quase meiga, apesar do seu riso constante, 
 De olhos a arder, lábios em flor, cabelos soltos,
 A um tempo é cortesã, deusa ingênua ou bacante...
 O teu sorriso enxuga o pranto que choramos,
 E eu não sei traduzir a ventura que exprimes!
 Nesta sentimental língua que nós falamos, 
 Só a Dor e a Paixão têm acordes sublimes! 

 António Feijó

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário