sábado, 17 de setembro de 2016

Minha alma...


Sinto que a minha estrada sem palmeira,
 Deserta, vasta e prolongada assim,
 Impulsiona a minha alma sem canseira,
 Para o mundo esquisito do sem fim! 
 E eu marcho resoluto para a frente!
 Cai-me a chuva nos ombros, de repente
 Eu mais apresso a minha caminhada! 
 E assim prossigo nesse sonho eterno,
 Sob a sentença de um constante inverno,
 Sem promessas de sol
 Na minha estrada!

 Jansen Filho 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário