sexta-feira, 8 de julho de 2016

Ando assim...


Ando por ai assim, meio sem saber,
 Procuro não dar
 muitas respostas a perguntas,
 Passo sismando tempo em que nada conta,
 Mergulho no profundo dos seus olhos azuis,
 oceano, imensidão;
 sinto-me perdida entre abrolhos, 
 presa fácil no mar da solidão.
 Em pânico retorno à superfície,
 tantos medos eu tenho a resgatar;
 recupero em meio às planícies a incerteza
 do ter ou do sonhar.
 Repenso atitudes,
 Sinto somente pelo tempo perdido,
 Preciso recomeçar...

 Mel

 Hoje, Ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário