sábado, 13 de fevereiro de 2016

Teu colo...


TU! ... Porque não dizes, quem sou?!
 O que quero... para onde vou ?!! ...
 Sentei-me no teu colo solidão ...
 Fiz do meu medo o cavaquinho de percussão ... 
Escutei batimentos, 
fervilhando na cápsula de fulminantes sentires ....
 Onde mora um coração ...
 Que em desacatos com a mente faz preces de lágrimas,
 Meu pranto! ... 
 Chorado a alma, desatina ...
 Sentida e amuada, não se dá por vencida ... 
Aprofunda mais as feridas ...
 ... Tu! ...
 Que colo não negas, embalas-me contra o peito
 E eu construo sonhos em sonos quase perfeitos ... 
 Deixa, que se abram as portas e se construam janelas ... Deixa, de molestar o medo que faz de mim, a eterna Criança ... Num corpo que apenas cresceu...
 Onde continuo a ser, Eu! ... 
 Momentos que caminham na Eternidade! ...
 O espelho em que me vejo ...
 em nosso beijo, MORTAL! ...
 SAUDADES! ... 

 ANA P.

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário