sábado, 5 de dezembro de 2015

Uma esperança...


Deitada na areia
Molhada de mar
Verdes mares profundos
Que a brisa faz sonhar...
Que faz navio naufragar
Com teu canto e tua harpa
Com teu corpo de prata
Que deixa lembrança no tempo
Deixa saudade no luar
Um poema no vento
E uma esperança no mar...
Foi num mergulho profundo
Que senti teu calor
E descobri que teu triste canto
Não é ausência de amor...
Como é bom te ver na manhã ensolarada
Esperando a preamar
Te contemplando sem dizer nada
Neste porto de mar...
Cantas e encantas os mistérios do mar..

Augus

Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário