quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Sua grandeza...


Observo-te!...
 Teu campo, teu domínio
 Tua grandeza, tua proporção
 Causa em mim, um tal fascínio
 Que me entrego à contemplação...
 Um oceano negro, salpicado
 Reluzindo um brilho desigual
 Em cada ponto teu, que é prateado
 Há uma incerteza natural
 Envolve a Terra com simplicidade
 Interfere no comando da razão 
Negas ao mundo tua claridade
 Pois teu segredo, habita a escuridão
 Os astros, súditos de teu reinado
 São carícias, em teu revolto manto
 Inspiram mistérios velados
 Que chagam a causar-me espanto...
 Sugere sempre o desconhecido
 Incita toda a sensibilidade
 Dominas o rumo de quem foi vencido
 Pela fraqueza da curiosidade...
 Causa-me inquietação 
Quase um medo de te conhecer
 Receio tua força, tua solidão
 Quando te afastas ao amanhecer...
 Céu...
 Infinito...
 Paraíso!
 Quem sabe o que és realmente
 Permaneces num ato conciso
 Acolhendo este planeta incoerente...
 Meus olhos brilham ao observar-te 
Porto de almas infantis! 
Meu coração deseja revelar-te
 O quanto na verdade, me fazes feliz...

Eneb

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário