terça-feira, 2 de junho de 2015

Sua chegada...


Quando você chegou, eu duvidei da sorte.
 Busquei desculpas, pedras no sapato,
 sujeira debaixo do seu tapete.
 Procurei o controverso das suas palavras
 e a mentira nos seus olhos. 
 Você me estendeu a sua verdade e,
 de mãos limpas, me convidou para desbravar
 o desconhecido desta nova chance.
 Sua e minha, eu entendi depois.
 Te apresentei meu mundo
 e a minha confusão de sentimentos,
 esperei sua fuga.
 Mas você ficou. 
 Suspenso, sereno. 
 Não me prometeu universos,
 nem galáxias ou infinitos particulares.
 Não me prometeu nada
 além da verdade transbordante dos seus olhos
 e presente em todos os seus gestos.
 Te falei dos meus traumas,
 das minhas cicatrizes e do meu medo. 
 Você me falou da sua imperfeição,
 dos seus defeitos e do seu medo, tão meus.
 Entre o seu tropeço 
e a minha desilusão, nos amamos.
 Mesmo antes de saber que era amor, nos amamos.
 Sem nome,
 sem endereço e nem promessas.
 Os amanhãs vieram,
 as histórias se sucederam,
 os caminhos se entrelaçaram.
 Mudei a direção dos meus passos
 para seguir pela sua estrada.
 Trilhamos um novo caminho.
 Nunca mais nos perdemos...
 Nunca mais duvidei da minha sorte.

 Thais Fernandes Palhares B0ssolan

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário