terça-feira, 23 de junho de 2015

Esperanças...


Espero mais uma noite,
 talvez, de criança, já perdida,
 Um cansaço que me assola,
 que aceito, longe da razão.
 Quedo-me a sós,
 mergulhando a vista num horizonte de breu,
 que tenho como amigo
 de tempos de memória perdida.
 Prometendo-me tudo, levaste-me ao nada!
 Um vazio assustador que restou
 que nevoeiro algum acalma!
 Oiço o leve restolhar de seres
 imunes ao que sinto, que por ali dançam,
 num gozo tremendo que invejo!
 Rios de dor nascidos!
 Lava de ira expelida!
 Uma inutilidade desesperada,
 que me preenche, arrebatadora!
 De onde estou, fustigado, 
vê-se o despontar, madrugador,
 de um sol odioso,
 que logo o vulcão adormece.
 Prometendo-me tudo, levaste-me ao nada!
 Um vazio assustador
 que restou que nevoeiro algum acalma!
 E espero mais um dia…
 Só mais um…

 Tiago Alves

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário