segunda-feira, 25 de maio de 2015

Olhar intimo...


Na penumbra do quarto
 ainda vejo o vulto 
Da noite engolida pela densa madrugada
 Fragmentos da musica que embalou o culto 
Nessa cama, altar, onde fui endeusada
 Estranha lucidez, das frestas da vidraça
 O lume etérea, 
Ainda lânguida, recuso-me a despertar.
 O corpo ainda guarda o gosto,
 Tem o perfume dessa paixão
 Que os nós do pudor fez desatar
 A luz que agora ofusca ecos do sentimento
 Daquilo que em mim ficou, depois da partida
 Dominante presença, fortemente sentida
 Do olhar dentro do olhar, guardo o momento 
Desse olhar intimo que só nos entendemos 
A cama desfeita, 
Vestígios do que vivemos...

 Glória Salles

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário