terça-feira, 21 de abril de 2015

Amor, sua presença.


Vejo à minha frente
 Um caminho diferente
 Um caminho que se diz contente... 
Mas eu...
 Perco-me no meio de palavras divergentes...
 O sonho, só, não basta
 Preciso de algo que me afaste
 Da ilusão, da incerteza, da incoerência. 
A realidade, apenas, não é suficiente
 Quero acreditar e confiar nos meus instintos...
 Nas minhas vontades...
 O nevoeiro, calmamente regressa à minha vida.
 Uma nova estação se apresenta.
 O vento bate à minha porta
 Mas a passividade impede-me de a abrir 
Impedindo também que me transforme...
 Impedindo que me permita a modificar...
 Impedindo um turbilhão de emoções...
 Impedindo uma tempestade
 capaz de lavar as feridas mais profundas...
 Quero-te como um furacão.
 Quero-te como uma catástrofe,
 Como algo capaz de me deitar abaixo...
 Mas que em seguida me dê a mão
 para me erguer outra vez.
 E assim de cara e alma lavada 
talvez mude o meu caminho...
 E assim talvez siga mais uma vez
 por estradas erradas na esperança
 de um dia voltar a encontrar-te...
Amor.

 Inês Montenegro


 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário