terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Doces lembranças...


Eu falei 
do cheiro da saudade doída... 
Falei da alma
 prisioneira em um corpo inerte.
 Gritei a paixão mais descabida... 
 Sofri as dores do parto, em cada verso.
 Eu sonhei com o amor mais colorido...
 Sonhei com sua voz em meus ouvidos.
 Almejei 
o passear de suas mãos no meu corpo...
 Rasguei meu verbo como um gozo.
 Eu esbravejei minhas doces lembranças...
 Esbravejei as mais insanas esperanças.
 Respirei o ar da ironia da vida...
 Arremessei palavras aos seus olhos.
 Eu jurei deixar-lhe para sempre...
 Deixar-lhe em paz para ser feliz.
 Amarguei sozinha no meu quarto...
 Voltei quando você quis.
 Eu pensei em libertar-me
 desse gostar...
 Pensei
 em liberar você e ir. 
Conheci o fel da noite sem seus arroubos...
 Descobri meu amor
 que somos um só,
 um nó.

 Juleni Andrade

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário