segunda-feira, 10 de março de 2014

Memórias...


Quem és tu que tanto amo?
 Sinto que te conheço. 
Por vezes sei o gosto do teu beijo,
 Por outras, o movimento do teu corpo.
 Quem és tu que dos olhos vejo a luz,
 Num brilho a ofuscar clarão da cheia?
 Num calafrio, pareço conhecer tuas mãos.
 De onde vens?
 - te pergunto 
- Nas noites em que visitas meu corpo,
 - que ao verter mel te adoça 
- E me pareces tão real?
 Por que esta lembrança intocável,
 Me faz sentir que já muito toquei tua pele? 
Quem és, responda 
- suplico
 - És a memória do meu corpo 
Que aflora perturbadora?
 Ou o tempo que retorna 
Trazendo você agora? 

 Ruth Maria Perrella

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário