quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Vida nova...


Estou repensando minha vida
 Botando em ordem o meu coração
 Tentando cicatrizar a ferida 
Abrindo espaço para outra paixão

 Dorido, quando o amor se vai... É dolente!
 Maltrata o corpo, a alma, os sonhos,
 Alanha o ente de um modo tão pungente.
 São noites e dias, tediosos e enfadonhos. 

 Águas revoltas que passam e deixam sua marca
 Como as lágrimas que escorrem e se vão
 Levando as dores que a própria história amarga
 Trazendo uma doce esperança, sem tortura, sem aflição.

 São mazelas que a existência nos reserva, enfim
 Momentos que jamais gostaríamos de viver
 Vou regar as flores do meu jardim
 Valorizar o verbo amar e deixar de sofrer

 Vou pensar um pouco mais no meu ser 
Construir um universo só meu, sem autolatrias. 
Venerar a luz do sol,
 banhar-me de inspiração quando chover,
 Quero uma vida nova,
 regada de canções e poesias...

 Sérgio Murilo 

 Hoje, Ame intensamente e Seja muito feliz. 
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário