segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Paixão fatal...


Quando pus os meus olhos nos teus olhos 
Tomado fui por terno magnetismo:
 Em teu olhar surgiu um mar, sem escolhos: 
Sereno, belo, azul, em seu lirismo...
 Subitamente, acendeu dentro em mim
 O fogo intenso da paixão fatal.
 Vi-me como um glorioso querubim
 A sonhar o mais belo amor astral...
 Mas, oh querida, esse teu corpo-mar,
 Como preciso na paz navegar
 Com a minha nau de antigo argonauta... 
 Preciso, pois, sondar os teus luares,
 Beber de ti a seiva dos teus mares,
 Ao canto de Orfeu,
 de áurea serenata... 

 J. Udine 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz. 
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário