domingo, 27 de outubro de 2013

Meu corpo.


Meu corpo tem o peso 
De muitas partidas.
 Alma desancorada.
 Janelas batidas no cais
 Ausência à flor da pele
 Afoita, aflita
 Sonhando com poesia.
 Meu corpo tem o encanto
 De muitas águas
 Traduzidas.
 O tempo dos naufrágios
 Envolvendo meus mares
 Até que eu desembarque 
Desse balanço interminável
 Num mergulho possível.
 Mar Demais
 Meu corpo tem o teor
 De um amor que ondulou
 E se quebrou, a um palmo
 Dos meus sentidos.

 Priscila Rôde 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário