segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Fênix, livre...


No silêncio
 abafadiço da noite
 sozinha choro a minha solidão 
ouvindo cada batida do relógio
 no compasso do meu coração! 
Pobre coração, sofrendo
 calado batendo em ritmo de percussão,
 transborda a alma de emoção
 sentindo o ar cansado, abafado.
 O sino do relógio bate,
 batidas consecutivas e a agonia cresce,
 todo encanto rompido, desfeito,
 eu ali, tristonha jogada no leito.
 Sons se misturam, agonia,
 noite de sofreguidão, golpeia,
 açoita, esse meu sofrido coração,
 sem esperança de ver-lhe, então.
 Algum dia,
 a alma terá descanso,
 renascerá como fênix,
 e livre
 feito água correndo 
no remanso saudade 
mais branda, descanso...

 Marta Peres 

 Hoje, ame intensamente e Seja muito feliz.
 Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário