segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Entregas no amor...

Deixarei por herança
não o poema
mas o corpo no poema
aberto aos quatro ventos
Pois todo poema
é verde e maduro,
em areia movediça
de angústia, solidão
Onde me debato
ainda que finja o contrário
em busca da verdade
e seu chão
Deixarei por herança
não o poema
Mas o corpo repartido
na viagem inconclusa
Pois todo o poema maduro
é um verde poema
E, mesmo acabado,
se estriba na inconclusão
Claro, sem esquecer,
o estratagema da paixão
Em última instância
finjo sonhos,
 circunstâncias
me bifurco aqui.
 
Lindolf Bell
 
Hoje, Ame Intensamente e Seja muito Feliz.
Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário