segunda-feira, 30 de julho de 2012

Crepúsculo.


Depois de algum tempo, o crepúsculo,
 caminhos rasteiros de uma pobre vida,
 sem sol continua lento na ignorância do amor.
 Ninguém sabe por onde foram os olhos doces,
 os gestos delicados das mãos suaves,
 os abraços e a face ora enrubescida de felicidade. 

 O mau amor escureceu seus dias 
e nos poucos sonhos nenhuma ternura,
 as promessas, todas, foram esquecidas.
 Se existe algum deus na sua vida,
 ficou para depois, a crença, o animo,
 hoje desconhece o céu e seus anjos.

 Pobre menina-mulher escrava da juventude,
 o coração bate aos poucos pedaços de vida,
 o sangue já não ferve o desejo do prazer.
 De repente um beijo lhe cai aos lábios,
 o outono passa, o inverno aquece, nada é eterno,
 amor, solidão ou paixão.

 Escutando o carinho do coração que entra,
 a noite imensa se abriu
 ao meio-dia de amor e segue vida,
 sem feridas, apenas cicatrizes.

Caio lucas

 Hoje, Ame Intensamente e Seja Muito Feliz. 

Felicidades...

Nenhum comentário:

Postar um comentário